sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Tarefa 14

Várias relações de Dominação e submissão (D/s) são inspiradas na época, em que a escravidão era realidade, muito provavelmente, por ser este o período, que melhor expressa a idéia de que uma pessoa era propriedade de uma outra.

Claro que a escravidão é proibida nos tempos atuais, mas dentro do contexto das fantasias eróticas-sexuais essa aproximação, quando feita de uma forma consensual, torna-se algo interessante. Assim, surge o Contrato de Escravidão, um elemento litúrgico,  bem comum nas relações D/s.

Trata-se de um documento, no qual estão descrito os direitos e deveres dos parceiros, mas é preciso ficar claro que ele não tem valor legal e serve apenas para acentuar a sensação de posse/entrega entre dominador e submissa. Quando um dos dois desejar terminar a relação, não há nada que possa ser feito. O contrato é "cancelado", mesmo contra a vontade do parceiro, e cada um deve buscar um novo caminho.

por: kassandra { K@ }

Fonte:
www.mestreka.com

1 comentários:

Kally Ka disse...

Bom dia kassandra

Ótima tarefa, Parabéns!
Também tenho a mesma opinião sobre o contrato de servidão que é o acordo feito entre as partes Dominante e dominado, detalhando-se os direitos e deveres da relação.
Como submissa acredito que o momento da assinatura deve ser o mais especial, com certeza é um dos elementos mais litúrgicos em uma relação D/s.

Beijos

kally { K@ }

Postar um comentário